Bartolomeu.Contemporaneo-181.jpg

Um pouco da história do nosso chef!

   Formado pelo Institut Paul Bocuse em Lyon, França, a história do nosso chef começou cedo. Já aos 17 anos Alexandre Riguetti sabia que não seguiria o que, naquele momento, chamavam de carreira promissora. Seu instinto o levava para a cozinha, era ali, que ele sabia que se realizaria. Fiel ao seu chamado interior, decidiu se aventurar em um estágio em SP, e se deu muito bem no Restaurante Capim Santo, onde pode experimentar seus primeiros passos gastronômicos. Confirmada a ideia de que a cozinha seria seu ateliê, partiu em viagem para a França, rumo a formação profissional. Lá, embalado no berço da culinária francesa, em meio às tradições gastronômicas mais famosas do mundo, construiu sua base técnica, profissional, inspiracional e raiz! Alê trabalhou também por alguns anos em dois restaurantes franceses, um com Uma Estrela Michelin, na própria Lyon e outro com Duas Estrelas próximo à cidade de Nice, enquanto completava seu currículo internacional. 


   De volta ao Brasil, onde queria de fato atuar, saiu para desbravar a culinária nacional. No estado do Pará, teve contato com as iguarias mais especiais e significativas para a culinária indígena local, além de contato com espécies de peixes de água doce e salgada, frutos do mar e técnicas nacionais, chefiando a cozinha do Manjar das Garças por três anos. Em seguida, para adquirir experiência também na área do turismo e gastronomia hoteleira, Alê aceitou o convite para chefiar uma equipe no Grand Hotel Escola Senac em Campos do Jordão, sendo responsável pela rede de restaurantes do hotel, e assessorando diversas turmas em formação. Esta experiência, vemos refletida hoje em seu modo de gerir e treinar a equipe. Em seguida, mais um convite hoteleiro e gastronômico surgiu, e desta vez, Alê embarcava para chefiar a equipe do Hotel das Cataratas, dentro do Parque Nacional de Foz do Iguaçu, administrado pela Orient Express, que foi também administradora do Copacabana Palace.

   Depois de tantas experiências e influências, nosso Cheff se sentiu apto para encarar o desafio de assinar um restaurante próprio e, assim, assumiu em 2012 o Bartholomeu Primitivo, com um projeto totalmente autoral, cheio de conceitos e desafios. E aqui estamos, prestes a completar 10 anos construindo um lugar único, colecionando histórias e cientes que se tornaram amigos! Iniciando uma jornada que está só começando!